Brotos de Girassol – como fazer

germinados

PASSO A PASSO DA GERMINAÇÃO:

  • lave energicamente um punhado de sementes de girassol com casca em água corrente em abundância para retirar resíduos vegetais ou terra.
  • coloque em um recipiente de vidro e acrescente água fresca no dobro da quantidade necessária para cobrir bem as sementes.
  • cubra e prenda com elástico a boca do frasco com um tecido de voil ou similar para não permitir a chegada de insetos.
  • deixe de repouso em lugar fresco e sem luz solar direta.
  • troque a água pelo menos 2 vezes por dia durante 2 dias.
  • no 3o dia despreze a água e deixe o vidro virado ao contrario para escorrer o resto de água (pode também colocar num coador de plástico grande) mantendo em lugar preferencialmente mais escuro e arejado para ajudar na germinação.
  • lavar 1 ou 2 x dia e retornar sempre o vidro na posição que permita escoar a água. Lembrar que água parada acumulada nas sementes pode provocar o surgimento de fungos e acabar por apodrecer as mesmas.
  • dependendo de fatores como temperatura, luminosidade, hidratação e  qualidade da semente depois de 1 a 3 dias brotaram os “narizinhos” nas sementes de girassol.
  • depois de crescer um pouco é conveniente colocar em um vasinho com terra fofa para permitir que os brotos se desenvolvam com plenitude.
  • em aproximadamente 3 dias depois de plantados estarão prontos para consumo. É só cortar rente a terra e se deliciar.
  • consumir enquanto os brotos tem de 2 a 4 folhas que é quando estão na sua maior abundância de Qi Vital.
  • este mesmo processo pode ser realizado com vários tipos de grãos e sementes comestíveis como trigo, lentilha, grão-de bico, amêndoas, cevadinha, arroz, amendoim, quinoa, linhaça. Cada semente tem seu tempo para deixar de molho e seu tempo para germinar. Algumas delas são mais interessantes se consumidas acordadas, outras germinadas e outras como broto. Veja a tabela a seguir para entender melhor:

classificação da receita: VIVO – VEGETARIANA – SEM GLÚTEN – SEM AÇÚCAR – SEM LACTOSE – RECEITA MÉDICA

(imagem adaptada do http://nutriquanticanovaera.blogspot.com.br)

Anúncios

DICA 4 – As “Receitas Médicas”

Alguns alimentos são tão perfeitos que podemos considera-los como verdadeiros  medicamentos.

Desintoxicação e limpeza do nosso sistema digestório. Fornecimento de macro e micro nutrientes. Abastecimento de energia vital. Recuperação e reestruturação da flora intestinal. Várias fases para deixar tudo funcionando como a Natureza programou.

Estão aqui algumas das receitas culinárias que eu considero também “receitas médicas” para cada fase do Programa Alimentar individualizado.  Mais informações no blog do consultório  (só clicar no link)

– Deixar os grãos de molho

– Arroz Integral Macrobiótico

– Papa de Arroz Macrobiótica

Creme de abóbora

– Papa de Arroz com Abóbora e Couve

– Nirá com Acelga Chinesa

Creme de arroz com Tâmaras

– Berinjela fermentada

Conserva de rabanetes

– Aspargos com polpa de coco

– Lasanha de abobrinha e palmito

Pêras cozidas

– Shimenji marinado

Quinoa 

– Leite de amêndoas

– Lentilha Germinada

– Grama Verde de Trigo 

– Suco Verde Vivo

Queijo de amêndoas

– Creme de arroz com cacau e coco

 

 

 

DICA 3 – Colocar sempre as sementes e grãos de molho antes de cozinhar

Sempre que for utilizar grãos como arroz, cevada, trigo ou outras sementes como feijão, lentilha, grão-de-bico, linhaça, inclusive quinoa (que é um fruto e não uma semente) deve se deixar de molho em água morna, num recipiente de vidro ou louça tampado com um pano, idealmente durante 12 a 24 horas  (pode ser um período menor de 3 ou 4 horas).

É recomendável que se adicionem 2 ou 3 gotas de limão para evitar o crescimento de bactérias nesta água. Também deve-se trocar a água de 2 ou 3 vezes por dia durante o processo.

Depois de deixar de molho devem-se lavar bem as sementes e nunca utilizar esta água no cozimento.

As sementes são protegidas naturalmente por substâncias, conhecidas como fitatos ou ácido fítico, que impedem que elas germinem espontaneamente, ajudando a aguardar as condições ideais de germinação. Estas substâncias são consideradas anti-nutrientes para o organismo humano já que impedem a absorção de minerais como cálcio, ferro, magnésio, zinco e de outros nutrientes pelo nosso organismo.

Ao deixar de molho “enganamos” as sementes que consideram que estão em condições adequadas de umidade, calor e luz para poderem brotar e iniciam seu processo de germinação interiormente, mesmo que aparentemente não sejam vistas mudanças. Assim a parte externa que as proteje começa a amolecer, permitindo a penetração da água para o interior.

Outra vantagem é que no processo de fermentação são liberados gases (as bolhas que observamos na superficie da água depois de algumas horas de molho) que de outra forma seriam liberados no tubo digestivo com efeito nada agradável.

Prefira sempre cozinhar lentamente com fogo baixo e a panela tampada ao invés do uso de panela de pressão.

.

.

DICA 2 – Facilite sua vida

Compre ingredientes já cortados e picados, pelo menos no início das suas tentativas culinárias.

Vai então uma listinha dos ingredientes que dão uma super adiantada na preparação do seu prato e que portanto facilitam enormemente seu dia a dia:

  • cebola já picadinha
  • couve cortada em tirinhas bem finas
  • abobrinha em fatias fininhas
  • abóbora já descascada e cortada em cubos
  • abacaxi descascado e cortado em fatias grossas
  • amêndoas cortadas em lascas fininhas
  • misturas de grãos já prontos, tipo risotos (sem molhos , só a mistura de grãos secos); gosto muito do Ritto da Mãe Terra
  • massa pré-cozida de lasanha verde
  • chutney de manga pronto
  • molho de tomate feito em casa.
  • geleia vermelha (morango, amoras, etc), se tiver pimenta ou gengibre junto ainda melhor, dá um toque exótico ao prato

Claro que é melhor vc mesmo preparar um molho de tomate caseiro ou um chutney de manga maravilhoso, sem comparação. Mas, no dia a dia da correria vc vai acabar ficando com preguiça e desistindo de cozinhar, se vc tiver que fazer todos os passos da receita, então vale simplificar. A idéia aqui é dar uma dica pra quem está começando, para poder realizar os pratos mais rapidamente e depois, com o tempo, com o gosto pela culinária e pelos sabores, acabar fazendo tudo em casa mesmo. Pode então comprar molhos e chutney prontos, procurando lojas mais alternativas com produtos caseiros, orgânicos e de melhor qualidade com menos ingredientes industrializados.

Como os alimentos preparados em casa são sem dúvida mais saudáveis, mais saborosos, sem o acréscimo de aditivos ou processamento, esta dica só é válida no começo!!

DICA 1 – Ingredientes que fazem toda a diferença


Mantenha sempre sua geladeira e despensa bem abastecida, principalmente com verduras, frutas, sementes e grãos. Na hora de cozinhar, são os ingredientes “diferentes” que vão dar um toque todo especial a sua comida ou fazer aquele acompanhamento virar um “must”.

Aqui vai uma listinha do que não falta na minha cozinha:

  • folhas verdes: nirá ou couve são minhas preferidas!!
  • para refogar: cebola, salsa, cebolinha, (eu compro um pote que já traz tudo isto picadinho, pois demoro muito para picar cebola e odeio ficar com cheiro nas mãos), alho, alho poró, manjericão, hortelã, dill, ciboulette (tenho sempre umas plantinhas cheias de folhas vivas e reluzentes), azeite, pimenta (uso uma tal “pimenta meio ardida” verde, parece um pimentão pequeno), pimentão de várias cores, tomate.
  • temperos: gengibre, noz moscada (adoro, faz toda a diferença em molhos brancos ou purés), sal, páprica, molho de pimenta verde Tabasco.
  • grãos: quinoa de várias cores, cevadinha, trigo em grãos, flocos de amaranto, arroz integral, arroz preto, lentilha (amo uma francesa de cor mais preta), grão de bico.
  • cogumelos: shitake, shimeji, champingons.
  • frutas frescas: manga, abacaxi, maça verde, pera.
  • frutas secas: tâmaras sem caroço, ameixas secas sem caroço, damascos, uva passa.
  • sementes: nozes picadas, nozes pecan, amêndoas fatiadas fininhas, castanhas de caju picadas pequenas, avelãs, sementes de girassol torradas, linhaça, gergelim preto cru, gergelim branco cru.
  • aspargos frescos, ervilha de metro, ervilha torta, couve de bruxelas, mini-abobrinhas.
  • tubérculos:  batata doce rosada, batata, mandioquinha.