Pão sem glúten de farinha de uva

paoagua

ingredientes: 
2 colheres (sopa) de linhaça dourada, 1 e ½ xícara (chá) de leite de arroz (morno), 2
colheres (sopa) de azeite, 2 colheres (sopa) de açúcar de coco, ½ colher (chá) de sal, 1
colher (sopa) de vinagre de maça, 2 e ¾ xícara (chá) de preparado de farinhas sem glúten, ½ xícara (chá) de farinha de uva, ¼ xícara (chá) de farinha de linhaça marrom, ¼ xícara (chá) de gergelim preto, ¼ xícara (chá) de semente de girassol, 2 colheres (chá) de
fermento biológico

preparo:
ferver a linhaça por 10 minutos em fogo brando e separar o gel formado (reservar)
colocar no liquidificador o fermento biológico, o açúcar e o leite vegetal morno
acrescentar os demais ingredientes (gel de linhaça, azeite, sal, vinagre, farinha
sem glúten, farinha de linhaça), bater até a massa ficar homogênea (se necessário
acrescentar mais leite vegetal morno), acrescentar e misturar os grãos (gergelim e
semente de girassol)
deixar crescer no mínimo por 3 horas
assar em forno pré-aquecido na temperatura de 180-200ºC por aproximadamente
uma hora

classificação da receita:  VEGANA- SEM GLÚTEN – SEM LACTOSE 
*Preparado de farinhas sem glúten
– 2 xícaras (chá) de farinha de arroz
– 1 xícara (chá) de fécula de batata
– ½ xícara (chá) de polvilho doce

Anúncios

Chips de Bardana

ingredientes: bardana, azeite, alecrim, sal.

preparo:

  • lavar 1 bardana escovando a casca, sem retira-la
  • cozinhar em água fervendo durante 20 minutos ou até que fique macia
  • cortar em rodelas finas de lado
  • levar ao forno numa forma antiaderente com um fio de azeite até dourar
  • temperar com sal e alecrim ou outras ervas a gosto
  • servir

observação: quando seguindo o Programa Alimentar de 5 fases, pode ser incluído a partir da 1a fase.

classificação da receita:   VEGETARIANA – SEM GLUTEN – SEM AÇÚCAR – SEM LACTOSE  – RECEITA MÉDICA  – TONIFICA O SHEN (RINS)  – HARMONIZA O GAN (FÍGADO)

A Bardana ou Gobô (Arctium lappa) é uma raiz muito usada na culinária oriental. Fonte de proteínas, glicídios, fibras, cálcio, fósforo, ferro, riboflavina, niacina, vitaminas A e B1 com grande quantidade de minerais acumulados na sua casca. Apresenta propriedades antibiótica, hipoglicemiante, depurativa e alcalinizante, diurética, sudorifera e anti-dispeptica.

Arroz Preto

História – O Arroz Preto era conhecido como  “Arroz Proibido”  na China antiga e é cultivado há mais de 4.000 anos. Por ser um arroz muito especial, na antiguidade a única pessoa que podia consumi-lo era o Imperador. Acreditava-se que possuía propriedades afrodisíacas.

Botânica – O arroz é um cereal, um tipo de gramínea, família de plantas que reúne mais de 6 mil espécies em todo o planeta, entre elas aveia, cevada, centeio, trigo e milho. O cereal é a planta toda e especificamente a semente dos cereais se chama de grão. Por tanto o arroz que comemos é um grão.  (Há sempre uma certa confusão entre grão e semente).

Nutrição – Comparado ao arroz integral, seu parente mais próximo, tem 20% a mais de proteína, 30% a mais de fibra, elevado teor de ferro, menos gordura e menor valor calórico, segundo pesquisa do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), órgão da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo.

Em cada xícara de arroz preto cru encontram-se 28 g de fibras, que auxiliam o trânsito intestinal e promovem a saciedade.

Apresenta também um grande conteúdo de compostos fenólicos, dez vezes superior do que o arroz branco. Os polifenóis são conhecidas substâncias com alto poder antioxidante, que combatem os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce.

Dentre as variações de arroz é o que apresenta maior conteúdo de proteínas, importante para quem adota uma dieta vegetariana.

Pode ser uma boa fonte de aporte de  vitamina B1, de  magnésio e de ferro.

Valor energético – Considera-se o arroz um alimento completo do ponto de vista energético, pois contêm os  5 sabores e assim harmoniza a energia de forma geral. Assim, o arroz é a base da alimentação oriental há milenios.

Junto com todos os grãos e sementes, têm a propriedade de fortalecer o Shen, um dos Zang-Fu mais importantes, por ser a base da nossa energia. A cor do Shen é preta, seu elemento é a água.

Fica então evidente que o Arroz Preto é um excelente alimento para tonificar o Shen, ação frequentemente necessaria em épocas de tanto desgaste, que acaba quase sempre consumindo o Shen de todo mundo!!

É a energia do Shen que se manifesta no cabelo, nos dentes, nos ossos, na medula óssea e espinhal, no encéfalo, na coluna vertebral, nas orelhas, no aparelho reprodutor masculino, nos orifícios inferiores (ânus e uretra). Na  esfera psíquica, o Shen cuida da vontade, da capacidade de execução, do fazer acontecer.

Sintomas comuns de deficiência do Shen são: alguns tipos de lombalgias, queda de cabelo, medo, desmotivação, cansaço físico com pequenos esforços, alguns tipos de zumbidos ou vertigens, pés frios, impotência, infertilidade masculina.

Então, fica a dica:

Vamos introduzir o Arroz Preto na nossa alimentação???